7 curiosidades sobre Paulo Roberto Falcão

Apresentar Paulo Roberto Falcão ao torcedor do Internacional é perda de tempo. Considerado por muitos como o maior ídolo da história do clube, ele foi revelado no Beira-Rio, onde vestiu a camisa vermelha durante sete anos, entre 1973 e 1980. No entanto, a história do craque não se limita ao Colorado.

Falcão é um ídolo mundial, tendo encantado o planeta com a camisa da seleção brasileira e da Roma, da Itália. Fez parte da lendária seleção de 1982, que fascinou todos os amantes do futebol pelo jogo praticado na Copa do Mundo da Espanha.

Falcão é nono jogador que mais atuou pelo Colorado, foram 392 jogos. Foto: Williams Aguiar/Divulgação.

Confira 7 curiosidades sobre Paulo Roberto Falcão:

1 – Bola de Ouro: Falcão ganhou a premiação máxima do futebol brasileiro em 1978 e 1979; o prêmio da revista ‘Placar’ é dado ao melhor jogador do Brasileirão.

2 – Fora da Copa de 1978: depois de discutir fortemente com o treinador da seleção, Cláudio Coutinho, o craque ficou de fora da lista para a Copa do Mundo de 1978, disputada na Argentina.

3 – Estreia na Roma contra o Inter: o primeiro jogo de Falcão com a camisa ‘giallorossi’ foi um amistoso contra o Internacional, em 1980; a partida terminou empatada em 2 a 2.

4 – Divino: essa é uma das alcunhas pela qual ele é conhecido na Itália, além de “Rei de Roma” e “o oitavo Rei de Roma”.

5 – Jogador mais bem pago da Itália: o meio-campista foi o jogador de futebol mais bem pago do país enquanto esteve na Roma; ele recebia mais de mil milhões de liras (moeda que está obsoleta) por ano.

6 – Fim da carreira no São Paulo: identificado com outras camisas, foi com a do Tricolor paulista que o craque pendurou as chuteiras, em 1986.

7 – Campeão da Liga dos Campeões da CONCACAF: como treinador, ganhou a competição quando treinou o América do México, em 1992.

Comentários do Facebook

- Publicidade -