Análise: Vitória do Inter traz respiro para Medina em semana de GreNal

Após a eliminação para o Globo, reuniões no CT Parque Gigante na sexta-feira (4) e a demissão de Paulo Bracks, o Inter recebeu o Aimoré no domingo (6) e fez o dever de casa, venceu. Abaixo, o Tática Didática fez uma análise sobre como foi o jogo colorado em meio a protestos da torcida.

A Camisa 12, torcida organizada colorada, fez um protesto que foi de entrar no estádio e, na hora do apito inicial, se retirar e não ver a partida. Outros protestos foram feitos por meios de cantos e faixas. A partida registrou o menor público da história do novo Beira Rio: 5.045. Veja a análise feita pelo Tática Didática:

Tática Didática analisou vitória do Internacional sobre o Aimoré

Houve vaias para muitos jogadores, principalmente para quem está há mais tempo na equipe. Edenílson, Cuesta, Moisés foram os principais alvos pois quando tocavam na bola eram vaiados a quase todo instante. Em meio a todo o ambiente tenso e de pressão, o Inter fez um jogo seguro. Mostrou evolução ao do jogo passado, o que é um ponto positivo.

Apesar disso (até mesmo Medina disse na coletiva que precisa de jogadores mais finalizadores) o Inter não foi tão vertical e agressivo no último terço. A falta de entendimento de ocupar devidos espaços (atacar espaços vazios) e a lentidão da construção foram novamente os pontos que fizeram com que o Inter não ganhasse por mais.

Melhorias no Inter contra o Aimoré

No 1º tempo, o Inter buscou atacar bastante pela esquerda, concentrando o jogo desse lado e deixando Bustos como um homem livre pelo corredor oposto. O lateral, na maioria das vezes, fazia o movimento de ruptura e infiltração atrás da última linha, mas os jogadores não arriscavam o lançamento.

Após o gol, o Aimoré se abriu mais e gerou espaços no entrelinhas ainda maiores, mas o Inter, novamente, teve dificuldade em aproveitar esse espaços e lentidão. Na defesa, um jogo seguro e sem muitos sustos, algo positivo na partida. Outro ponto positivo defensivo foi a melhora na pressão pós perda, principalmente em campo adversário.

Medina vem implementando seu modelo de jogo, mas também cabe aos jogadores interpretar as situações de jogo e saber aproveitar do melhor jeito possível. O técnico falou em entrevista coletiva que possui jogadores criadores, mas que faltam jogadores com características de finalização e que decidam jogos. Quarta-feira (9) tem o GreNal, jogo que pode marcar a continuação ou demissão do Cacique no comando do Internacional.

Comentários do Facebook

- Publicidade -