Anderson: Jornalista revela denúncia do Ministério Público por organização criminosa do ex-Inter

- Publicidade -

- Publicidade -

Anderson, ex-jogador do Inter e Grêmio, foi denunciado pelo MP por crimes como furto qualificado, organização criminosa, e lavagem de bens, direitos ou valores. A informação é do jornalista Eduardo Matos. O ex-atleta já estava sendo investigado há mais de um ano.

O ex-jogador se aposentou em 2019, pelo Adana Demirspor, da Turquia e se afastou do futebol. O ex-atleta voltou a morar em Porto Alegre e no ano passado foi alvo de mandado de busca e apreensão em sua casa.

- Publicidade -

Anderson teve o computador e o celular apreendidos para investigação no âmbito da Operação Criptoshow, do Ministério Público do Rio Grande do Sul (MP-RS), que busca desarticular uma organização criminosa que desviou R$ 35 milhões de empresas, burlou esquema de segurança digital de banco e lavou dinheiro com bitcoins. 

Nota oficial de Anderson sobre o caso anterior

- Publicidade -

Confira a nota do jogador sobre o caso do ano passado:

“Eu, Anderson Luís de Abreu Oliveira, venho a público esclarecer:

Trouxe recursos de uma vida toda para fazer negócios no Estado que amo. Apesar das dificuldades que ele vem passando, quero continuar fazendo negócios aqui, pois acredito e sou prova de que um menino pobre e sem estudo pode vencer na vida com trabalho e empenho.

Conheço e invisto há quatro anos no mercado de criptomoedas. Investi mais fortemente em 2019 no bitcoin, comprei com dinheiro declarado, conforme comprovante e imposto de renda.

Desde então, negocio no mercado a compra e venda destas criptomoedas para ganhar dinheiro, e também porque gosto da tecnologia. Para isso, comprei a participação na empresa House Tecnologia Ltda, que realiza as compras e vendas quando é oportuno.

Uma de nossas empresas foi relacionada em um assunto que não merecíamos. Hoje, por conta disso, recebi em minha residência a polícia, com a cordialidade que lhes é merecida. Nada tenho a esconder. Nossos valores são fruto do meu trabalho e estão devidamente declarados.

Agradeço às autoridades pelo tratamento digno ao qual fui submetido, e a todos que sabem o que sou e o quanto sou grato ao Rio Grande do Sul. Tanto que continuarei investindo e dando empregos o quanto eu puder”, disse Anderson, na nota publicada em 2020.

Comentários do Facebook

- Publicidade -