Bahia enfrenta crise e não faz nem concentração antes de pegar o Inter

0

O Bahia enfrenta o Inter neste domingo (26), às 16h, e passa por uma crise, algo que não vinha acontecendo nos últimos anos. Os jogadores estão com salários atrasados e decidiram não realizar concentração e nem conceder entrevistas antes da partida contra o Internacional. Aliás, o clube anunciou por meio de uma nota que os salários não estão em dia.

“É verdade que o Bahia vive situação de dificuldade financeira, motivada pelos efeitos da pandemia a partir de março de 2020, que impediram o clube de seguir a rotina de salários em dia”, diz uma parte da nota.

Não foram apenas os jogadores do time principal que ficaram sem salário em dia. Assim, funcionários do clube também estão sem pagamentos regulares. Conforme a nota, 384 trabalhadores receberam em dia e outros 487 funcionários recebera o décimo terceiro de 2020, faltando o pagamento de 63, o que inclui jogadores.

Ainda na nota, o clube explica que a pandemia tem prejudicado situação financeira nos cofre do time baiano. Sem a possibilidade de receber público no estádio, o time, assim como o Inter, perdeu alguns milhões com bilheteria. Além disso, houve queda no programa de sócios, o que dificulta no pagamento da folha salarial.

Confira a nota do Bahia na íntegra

“O Esporte Clube Bahia vem a público responder matéria veiculada pelo site ‘TNT Sports’, na tarde desta sexta-feira (24), que lamentavelmente não cumpriu requisito jornalístico de procurar o posicionamento da instituição.

É verdade que o Bahia vive situação de dificuldade financeira, motivada pelos efeitos da pandemia a partir de março de 2020, que impediram o clube de seguir a rotina de salários em dia desde a temporada de 2015.

Quedas bruscas de receita como a do programa de sócios, antes capaz de quitar folhas inteiras de pagamento só com as mensalidades dos torcedores, afetaram o orçamento e o planejamento montados no final de 2019.

Apesar disso, as informações divulgadas estão equivocadas.

Neste momento, em função dos motivos citados, há atraso de um mês de salário e três de imagem para o elenco, exceção a sete atletas remanescentes do ano passado, que estão com outros quatro meses de imagem em aberto, fruto de acordo de renegociação da pandemia.

Mais: até então 384 colaboradores receberam o salário de agosto, que venceu no 5º dia útil de setembro, sempre iniciando das menores para as maiores remunerações. Além disso, 487 funcionários receberam o décimo terceiro de 2020, faltando 63, dentre eles os jogadores.

Neste um ano e meio de crise mundial, não houve demissões. A prioridade foi manter o emprego das pessoas que fazem o Esquadrão.

Superada a pior fase do problema, o Bahia se encaminha para solucionar as últimas pendências. Já estamos melhor do que estávamos e a união de todos, dentro e fora do clube, se mostrará fundamental”.

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.