Bracks demitido, Papaléo e Medina ficam, intervenção do presidente e Jogadores assumem culpa: O resumo da sexta-feira colorada

Neste espaço vou propor uma ideia um pouco diferente. Todos os dias, na madrugada (provavelmente), você vai ter um resumo das principais notícias do Internacional, nas últimas 24 horas. Para começar o dia seguinte já a par de tudo o que rolou. Fechado?

Jogadores assumiram culpa

Após a derrota para o Globo-RN, os jogadores pediram para conceder uma entrevista coletiva no CT Parque Gigante. Três jogadores tiveram a palavra, representando três perfis diferentes do grupo: Victor Cuesta, por ser um atleta com bastante tempo de casa e experiente. Gabriel, por ser um dos recém-contratados. E Maurício, representando os jovens jogadores do elenco.

O tom da entrevista foi de auto-crítica. Cuesta teve a palavra mais forte. O zagueiro afirmou que o time, apesar de ter qualidade técnica não demonstrou “vontade, determinação e caráter” na partida contra o Globo-RN.

Intervenção no futebol

Depois disso, importantes dirigentes da cúpula do Inter chegaram no CT para iniciar uma intervenção no departamento de futebol. Foram 7 horas de reuniões, onde se buscou soluções para o desempenho ruim da equipe. Em entrevista coletiva, o presidente Alessandro Barcellos explicou algumas das reuniões.

Ao se reunir com o CAPA, cobrou uma agilidade maior na busca por jogadores para reforçar o elenco. Também houve uma cobrança para mudança de rumo na metodologia do departamento de futebol. Não só a ciência de dados resolve, mas a análise anímica de ambiente do jogador precisa ser mais levado em conta.

Em reunião com Medina, a direção deu respaldo e cobrou. Barcellos deixou claro que deu a Medina liberdade para mexer nos jogadores que ele quiser. Mas sim, houve um tom de cobrança em sinal de intervenção. A direção deu uma luz alta no uruguaio, que segue, mas precisa demonstrar resultado.

Com Emílio Papaléo Zin, Barcellos afirmou que vai buscar respaldo político para o dirigente. Um outro dirigente de futebol deve se integrar ao departamento. Alguém experiente, que possa ajudar Papaléo a sobreviver ao turbilhão de críticas externas e internas.

Bracks caiu

Quem não se segurou foi Paulo Bracks. O diretor executivo de futebol deixa o Inter após um ano e dois meses no cargo. De acordo com Barcellos, a mudança busca o objetivo de renovar o ânimo e o perfil de profissionais dentro do vestiário. Uma tentativa de chacoalhar, mesmo que ele não tenha colocado em Bracks a culpa pelo momento difícil.

Entretanto, muitos dos dirigentes do núcleo duro da gestão cobravam essa mudança. Já que a insatisfação com o trabalho do mineiro era grande nos últimos tempos.

Lindoso foi para o Ceará

A direção confirmou o empréstimo do volante para a equipe nordestina. Lindoso jogará até o fim do ano no Vozão. Com isto não vestirá mais a camisa do Inter.

Comentários do Facebook

- Publicidade -