Brasileirão 2022 corre o risco de ser paralisado

A Associação Nacional dos Árbitros de Futebol (Anaf) pode realizar uma greve geral com o objetivo de paralisar o Campeonato Brasileiro. Uma assembleia-geral será realizada nos próximos dias para debater sobre o assunto.

Os árbitros estão insatisfeitos com as decisões recentes da CBF. A confederação cortou o repasse de verbas da Anaf, referentes ao faturamento dos patrocínios que são expostos nos uniformes, e a mudança gerou criticas nos bastidores.

“Recebíamos R$ 30 mil mensais, dos R$ 10 milhões que a CBF recebe dos patrocinadores que expõem suas marcas nas camisas da arbitragem”, disse o presidente da Anaf, Salmo Valentim, em entrevista ao Lance.

Em nota, a Anaf criticou as recentes decisões da CBF e citou o presidente da confederação Ednaldo Rodrigues, como o principal responsável pelas alterações. Segundo a associação dos árbitros, o mandatário está sendo “um desserviço à categoria”.

“Desde que tomou posse como presidente da CBF, Ednaldo Rodrigues tem prestado um desserviço à categoria. Cortou o patrocínio que os árbitros recebiam oriundo da exposição de marcas em seus uniformes e busca a todo momento enfraquecer sua entidade classe, assim como fez quando era presidente da Federação Baiana de Futebol, com o sindicato local”, disse a Anaf.

Anaf pode propor greve geral e vai paralisar o Brasileirão 2022

Salmo Valentim se mostrou insatisfeito e declarou que vai propor a greve geral dos árbitros nos próximos dias. A intenção é de que a CBF mude o tratamento com a Anaf.

“Diante desse panorama não resta outra alternativa: como representante eleito da categoria, irei me reunir com alguns árbitros da FIFA, e também da CBF, além de estar com presidentes de sindicatos em todo país que atuam em nosso segmento e nós iremos propor uma greve geral para que o presidente da CBF passe a entender que o respeito é uma condição essencial para que o árbitro possa realizar o seu trabalho com fidalguia no campo de jogo!”, salientou Valentim.

- Publicidade -