Investigação envolvendo Inter x Corinthians terá leitura labial

A investigação sobre o possível caso de racismo contra Edenilson em Inter x Corinthians, ocorrido no último sábado (14), avançará nesta segunda-feira (16). De acordo com a delegada Ana Luiza Caruso, da 2ª Delegacia de Polícia Civil de Porto Alegre, em entrevista à Rádio Gaúcha, o Instituto Geral de Perícias analisará as imagens da partida e fará uma leitura labial.

“Já foram ouvidos tanto os envolvidos como o árbitro. Agora, vamos contar com a perícia para ver se consegue fazer a leitura labial para dar seguimento ao inquérito. Já vai ser instaurado a partir de amanhã (segunda-feira) e, em pouco tempo, teremos a finalização dele, remetendo para o Judiciário “, disse a delegada.

Devido a acusação de injúria racial, o lateral português Rafael Ramos foi preso em flagrante pela Polícia Civíl. O jogador foi liberado após pagamento de fiança de R$ 10 mil e pôde sair do Beira-Rio, no sábado (14).

“A gente espera contar com a ajuda do IGP porque, embora pareça que realmente um jogador chama o outro de macaco, a defesa está alegando que foi um mal entendido. Edenilson realmente não esboçou nenhuma reação momentânea, mas, segundo o depoimento do árbitro, ele o procurou para dizer que teria sido injuriado”, completou a delegada responsável pelo caso.

Defesa alega mal entendido entre os jogadores de Inter e Corinthians

Em entrevista ao programa Sala de Redação, da Rádio Gaúcha, o advogado de Rafael, Fabiano Cerveira, disse ter havido um mal entendido entre o seu cliente e o volante colorado. Segundo ele, o português não proferiu a palavra “macaco”, como acusa Edenilson, mas sim um palavrão “mano, caralho”.

Versão essa que é contrária ao que relatou o árbitro Bráulio Machado da Silva, na súmula da partida. De acordo com Bráulio, o camisa 8 do Internacional disse ter sido ofendido com as palavras “foda-se, macaco”, enquanto o lateral corintiano, ao se defender, alegou ter dito “foda-se, caralho”.

Comentários do Facebook

- Publicidade -