CBF toma decisão importante após polêmicas de Inter x Botafogo

A Confederação Brasileira de Futebol (CBF) realizou um evento nesta quarta-feira (22), em sua sede na Zona Oeste do Rio de Janeiro, para anunciar mudanças em algumas questões da arbitragem no futebol brasileiro.

Entre as mudanças, a entidade revelou que vai mudar a forma em que a linha de impedimento do VAR é exibida na transmissão de TV. A partir de agora, as emissoras receberão um vídeo com a linha sendo traçada ao vivo (ao contrário de uma imagem, como era exibido anteriormente).

“A gente vai disponibilizar a construção da linha do impedimento na transmissão ao vivo. Não vai mais enviar a foto da jogada para a transmissão colocar na sequência. A gente entende que quando as pessoas que estão acompanhando a transmissão começarem a acompanhar a construção da linha, vão entender melhor o final dela”, disse o presidente da Comissão de Arbitragem da CBF, Wilson Seneme.

O mandatário também ressaltou o desejo para que os árbitros melhorem a linha de intervenção. Alguns erros chamaram a atenção nas últimas rodadas do Brasileirão e a CBF está de olho na situação para fazer diferente nas próximas rodadas.

“A gente quer dar treinamento diário para esses árbitros para que possam melhorar essa linha de intervenção, é o que estamos buscando”, salientou Seneme.

Na partida entre Internacional e Botafogo, um lance chamou a atenção na questão das linhas de impedimento. O gol de Gabriel Mercado foi anulado por impedimento e depois viralizou uma imagem que mostra o zagueiro em posição regular.

CBF anunciou mudança nos bastidores

Além das alterações com relação à linha de impedimento, o encontro também serviu para anunciar uma mudança na equipe de departamento de arbitragem. 18 novos integrantes foram contratados para fazer parte do time.

“Cheguei a esses nomes com o máximo de autonomia. Eu sei que eu estou sendo vigiado pelo presidente, assim como os árbitros têm que saber que estão sendo vigiados por nós. Mas essa liberdade de ação (para escolher os nomes) eu não tive nem na Conmebol”, afirmou Seneme.

Comentários do Facebook

- Publicidade -