Conmebol enfrenta problemas para definir as Eliminatórias de 2026

A mudança no calendário da Conmebol para o formato das Eliminatórias para a Copa de 2026 pode não acontecer. Segundo o Globo Esporte, a proposta da entidade enfrenta resistência da maioria das associações nacionais do continente.

O Brasil e a Argentina concordam com a reforma no formato, porém a maioria quer manter. O atual modelo, disputado em pontos corridos, seria muito fácil para as duas seleções, já que na próxima Copa os seis primeiros se classificam e o sétimo joga a repescagem.

“A maioria absoluta quer manter. Vamos externar [nossa posição] quando houver uma reunião de Conselho da Conmebol. Se depender da maioria, a fórmula vai continuar sendo essa, a não ser que a Conmebol tenha alguma proposta para direcionar”, afirmou o presidente da CBF, Ednaldo Rodrigues.

O torneio ocupa 18 datas Fifas e existe um entendimento de que ele é muito longo e pouco atrativo. Com o aumento de seleções para a Copa de 2026, a Conmebol está estudando as possibilidades para deixar o torneio mais atraente.

O Conselho da Conmebol está realizando reuniões para definir as decisões sobre o torneio. Questionado sobre o calendário no futebol brasileiro para 2023, o presidente da CBF afirmou que precisa esperar o calendário da entidade internacional.

“Tem um desenho do que pode acontecer. Mas são suposições enquanto não tiver o calendário deles. Nós queremos um calendário que não traga tanta consequência para os clubes”, destacou o mandatário.

Copa do Mundo terá novas alterações da Fifa

A International Football Association Board (IFAB), responsável por regular as regras no futebol, aprovou novas alterações no esporte. As definições foram confirmadas em reunião realizada em Doha, no Catar, durante o mês de junho.

Na reunião, a entidade aprovou as cinco substituições em uma partida de forma definitiva. A medida tinha sido temporariamente implementada por causa da pandemia de Covid-19, porém acabou recebendo um feedback positivo no futebol internacional.

Além disso, os treinadores poderão contar com até 15 atletas no banco de reservas a partir do dia 1 de julho. A IFAB também confirmou a restrição de três janelas para substituições, além do intervalo da partida.

Comentários do Facebook

- Publicidade -