7 curiosidades sobre o ex-jogador Tinga

Paulo César, o Tinga, é um dos maiores ídolos da história recente do Internacional. Embora tenha tido pouco tempo no Beira-Rio, foi o suficiente para marcar a memória do torcedor dentro e fora de campo. Nos gramados e fora deles, o ex-meio-campista é um exemplo de luta pelos direitos da população negra no Brasil.

Sete curiosidades da carreira de Tinga:

  1. Começo no Grêmio: apesar de ter tido os melhores momentos da carreira com a camisa vermelha, o volante vestiu azul no início da carreira. Formado no rival, ele atuou pelo Grêmio durante seis anos, entre 1997 e 2003.
  2. Ídolo do Inter mesmo sem tantos jogos: o meio-campista teve duas passagens pelo Beira-Rio, a primeira entre 2005 e 2006, e a segunda entre 2010 e 2012. Ao todo, vestiu a camisa vermelha por apenas 138 partidas, mas foi o suficiente para entrar para a história do clube.
  3. Bicampeão da Libertadores: apesar de pouco tempo de Inter, foi o suficiente para Tinga vencer dois dos títulos mais importantes da história do clube. Em 2006, fez o gol do título e voltou em 2010 para vencer a Liberta pela segunda vez.
  4. 6 títulos pelo Colorado: no Beira-Rio, o meio-campista conquistou seis taças: duas Libertadores, três vezes o Gauchão e uma Recopa.
  5. Ídolo na Alemanha: depois de conquistar o primeiro título da Libertadores pelo Clube do Povo, o volante se transferiu para o Borussia Dortmund, da Alemanha. Por lá, ficou quatro anos e se tornou ídolo do clube.
  6. Gestor dentro de campo: em 2013, quando atuava pelo Cruzeiro, o jogador contou que fazia um papel de gestor, ouvindo o que a diretoria do clube pretendia fazer e lidando com os companheiros no vestiário.
  7. Cidadão Emérito de Porto Alegre: em 2016: o ídolo colorado recebeu, na Câmara Municipal, o título de Cidadão Emérito da Capital pelo que fez nos gramados e principalmente pela luta pela inclusão social, igualdade e conscientização contra o racismo.

Comentários do Facebook

- Publicidade -