Edenilson explica porque não paralisou a partida depois de ato racista

Infelizmente o futebol ficou em segundo plano neste sábado. Apesar do Inter ter feito uma boa partida, o jogo que terminou empatado em 2 a 2, mas o que repercutiu foi o caso de racismo sofrido por Edenilson ainda dentro de campo. O jogador Rafael Ramos teria chamado o meia colorado de “macaco”.

Segundo o atleta do Inter, Rafael Ramos teve a chance de pedir desculpas após a partida e ser ouvido pelo jogador, mas o mesmo preferiu seguir negando que teria dito as palavras de cunho racista. Após o jogo, Edenilson prestou queixa contra Ramos, que ficou preso no estádio até o pagamento da fiança, para então ser liberado. Em nota, durante a madrugada de domingo (15), Edenilson se manifestou em uma rede social:

“Boa noite pessoal, passando aqui apenas para me pronunciar, eu sei o que ouvi realmente eu nao reagi provavelmente da forma que deveria, pois foi a primeira vez que isso aconteceu comigo e me incomoda o fato de ficar chamando atenção de outra forma que não seja jogando futebol (quem me conhece sabe). Ser xingado pelo tom da minha pele, minha reação foi a de não paralisar a partida pois o jogo estava bom e ao mesmo tempo eu não queria que tomasse a proporção que tomou justamente por nunca ter passado por isso. Eu procurei o atleta para que ele assumisse e me pedisse desculpas, afinal todos erramos e temos o direito de admitir, no meu modo de ver as coisas. Mas o mesmo continuou a dizer que eu havia entendido errado. Eu não entendi errado. O procurei por respeito que tenho por alguns integrantes do Corinthians, e para que ele pudesse ter uma chance de redimir. Pois independente da nossa cor, o caracter sempre falará mais alto. Enfim peço desculpas por nao estar preparado para reagir a algo deste tipo”.

Comentários do Facebook

- Publicidade -