Valor que o Inter cobra por Edenilson nos deixou de queixo caído

O Internacional não quer vender Edenilson, só fará isso se não tiver mais opções. Conforme o Vozes do Gigante, o atleta tem uma multa rescisória de R$ 700 milhões para times brasileiros, baseada na Lei Pelé. Desse modo, qualquer valor abaixo disso poderá ser rejeitado pelo clube.

É claro que se o Atlético Mineiro realmente oferecer 5 milhões de dólares, a chance de agradar a direção será bem elevada. Ainda assim, caso consigam convencer Ed a ficar para 2022, a oferta será negada. Uma proposta verdadeiramente irrecusável precisa ser acima deste valor.

Nos últimos dias falou-se muito sobre a possibilidade de existir um acerto verbal para que a multa fosse de apenas 3 milhões de dólares, como é para o exterior. Contudo, essa informação já foi desmentida por Rodrigo Caetano, e agora por Alexandre Chaves Barcellos, que era vice-presidente na época que o contrato foi assinado.

Outra coisa, se é um acerto verbal, como que seria a validade, já que agora mudou a gestão do clube? Este seria um acerto com o antigo presidente, Marcelo Medeiros.

Edenilson e a multa rescisória: veja como funciona

Os contratos dos jogadores brasileiros possuem dois valores de multas, que servem para proteger os clubes de assédios de rivais. Uma delas é válida para o Brasil e outra para o exterior. No caso das multas para fora do país, elas podem ter qualquer valor, de R$ 1 até R$ 1 trilhão, não há limites.

Em relação as multas para o futebol nacional, são baseadas no salário do jogador, que deve ser multiplicado por 13,3 (os 12 meses de salário e o 13º salário, mais 1/3 das férias). Em seguida, o valor é multiplicado por 100. Assim, o total será o valor da multa.

Existe também uma redução do valor da multa conforme o tempo de contrato vai passando. Então, os jogadores em fim de contrato já contam com multas bem mais acessíveis.

Comentários do Facebook

- Publicidade -