Entenda o protesto em Inter x Coelho e o que deve muda na Lei Pelé

Os protestos contra o Projeto de Lei 1153/2019 tomara conta dos jogos da última rodada do Campeonato Brasileiro. O projeto altera a conhecida Lei Pelé e mexe nos direitos de jogadores e diversos atletas se manifestaram contrários à ação, inclusive do Internacional e América-MG.

O PL que faz as mudanças na lei foi aprovado na Câmara dos Deputados e, com isso, atletas do jogo do Colorado colocaram as mãos na boca após o apito inicial, em forma de protesto às movimentações legislativas. A mudança foi a Plenário na última semana, com 398 votos a favor e 13 contra. 

Alguns clubes apoiam as alterações na Lei Pelé, nas redes sociais. Enquanto isso, atletas alegam que a mudança vai ferir e diminuir os seus direitos trabalhistas, principalmente nas rescisões contratuais. O projeto garante a redução e parcelamento do valor da cláusula compensatória desportiva.

No caso, atualmente os atletas recebem, pelo menos, seus salários até o fim do vínculo, mas, com a mudança, o valor pode cair pela metade.

Jogadores de diversos times protestam contra a mudança na Lei Pelé

Os protestos contra as mudanças na Lei Pelé foram vistos em outros jogos da rodada, como por exemplo: Flamengo x Corinthians, Atlético MG x São Paulo, Fortaleza x Palmeiras, Cuiabá x Botafogo e Santos x Atlético Goianiense. O assunto foi tema inclusive de uma fala do goleiro do Bahia, Danilo Fernandes, que explicou os motivos dos protestos, em entrevista coletiva.

“Não só os atletas do Bahia. Os atletas do Brasil inteiro estão engajados neste protesto, nesta campanha, porque temos os nossos direitos. Não estamos cobrando nada mais do que merecemos. Não é de hoje que tentam tirar nossos benefícios como um empregado normal, onde todo mundo tem o seu direito, com a gente não é diferente”, começou Danilo, que exemplificou.

“Vi até um vídeo do Diego falando: “Ah, o pessoal fala que jogador ganha muito e tem que ficar quieto, aceitar as condições e os termos”. Não é assim, porque mais de 85% dos atletas ganham até mil reais. Para a gente ver que o futebol tem uma realidade muito diferente do que todos pensam, imaginam. Não é fácil”, completou.

Comentários do Facebook

- Publicidade -