Especialistas em arbitragem divergem sobre lance de Taison

Os especialistas da Central do Apito, da Globo, e da GaúchaZH, divergiram a respeito do lance de Taison no clássico. Na primeira etapa do GreNal 435, o camisa 7 acertou o tornozelo de Janderson em dividida. O experiente Leandro Vuaden aplicou apenas o cartão amarelo ao colorado na jogada.

“O cartão foi correto, porque o gesto do meia colorado foi consequência do movimento da disputa. Não houve um movimento adicional ou uma intensidade que pudesse justificar interpretação de conduta violenta”, disse Dori Vasconcelos, da GaúchaZH.

Para o comentarista, Vuaden conduziu bem a partida na parte disciplinar e foi preciso nas decisões técnicas. Em contrapartida, a posição de Sandro Meira Ricci, da Central do Apito da Globo, foi divergente da de Diori. Na opinião do ex-árbitro, o lance era para expulsão.

“Ficou barato. Esse lance é de cartão vermelho. O Taison, mesmo sem intenção de agredir, vai com a sola quase na altura da canela, com intensidade. Lance de cartão vermelho”, comentou Ricci.

Arbitragem não interferiu no resultado do GreNal 435

Assim como o lance de Taison, no restante da partida as decisões foram tomadas corretamente por parte da arbitragem. O Colorado alegou um pênalti de Pedro Geromel, que não ocorreu. Em jogada na área gremista, a bola atingiu o braço do zagueiro, mas estava colado ao corpo.

Fora isso, sobrou futebol do lado vermelho. O Clube do Povo dominou o jogo totalmente. Os números finais da partida traduzem que o placar foi, inclusive, injusto. O 1 a 0 poderia ter sido mais: 63% de posse de bola contra 37%, e 18 finalizações contra 4.

Foi a primeira partida da temporada na qual o torcedor pôde se empolgar com a equipe, que atravessava um momento turbulento.

Comentários do Facebook

- Publicidade -