Flamengo tem interesse em Patrick para repor saída de Gerson, diz jornalista

0

Com Gerson a caminho do Olympique de Marselha, o Flamengo já começa a procurar nomes para substuí-lo. Um destes pretendentes é Patrick. De acordo com o jornalista Jorge Nicola, o clube carioca tem interesse no meia do Inter para repor a já iminente saída do craque rubro-negro.

Apesar do Flamengo se apresentar como um dos grandes mercados importadores na América do Sul, a negociação a princípio parecia um tanto quanto difícil de acontecer. Isso porque Patrick renovou recentemente seu contrato com o Colorado até junho de 2023, recebendo um aumento salarial que, segundo Nicola, o torna um dos quatro jogadores mais bem pagos do elenco.

Porém, conversando com uma pessoa de dentro do Inter, Nicola apurou que uma possível ida do jogador ao Fla seria facilitada após essa renovação pelo poder de barganha do clube que detém o atleta.

Sem essa atualização contratual, o jogador iria embora no final do ano – podendo sair até de graça. Patrick está avaliado atualmente em 5 milhões de euros, algo em torno de 31,5 milhões de reais.

Foto: Ricardo Duarte/Inter

Namoro entre Patrick e Flamengo já dura meses, mas a paixão do jogador é de criança

Nicola ainda trouxe que as tratativas entre Fla e Inter sobre Patrick já vem de algum tempo. Em março deste ano, o diretor executivo do Flamengo, Bruno Spindel, sondou com representates do atleta sobre a possibilidade de contratá-lo, mas o clube re.

Já no mês retrasado, o repórter Rafael Pfeiffer, da Rádio Guaíba, apurou que um dirigente do Flamengo chegou a oferecer a permanência em definitivo de Rodinei, ainda sob contrato com o Colorado na época, pela ida de Patrick ao clube carioca, mas o Colorado recusou a oferta e o lateral voltou para o Rubro-Negro.

A relação entre Patrick e o Flamengo é mais profunda do que as conversas atuais estão mostrando. É de berço. Em entrevista ao canal Desimpedidos, o meia não escondeu que torce para o clube da Gávea, mas garantiu que isso nunca afetou seu trabalho dentro de campo.

“Sou do Rio de Janeiro, de Olaria e revelo aqui que eu era flamenguista, era o meu time do coração. Não vejo problema em falar. E não quer dizer que quando tiver jogo contra o Flamengo eu vou fazer as coisas erradas por ser torcedor. Jamais. Ali existe um profissionalismo, e lutamos por nosso prato de comida”, afirmou.

- Publicidade -

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.