Portal do colorado
Portal de Noticias do Sport Club Internacional

Fortuna de clube árabe vai entrar nos cofres do Internacional

O goleiro Alisson Becker, do Liverpool, está sendo monitorado pelo Al-Nassr, da Arábia Saudita. Formado nas categorias de base do Internacional, o arqueiro pode render dinheiro aos cofres do clube caso seja transferido na atual janela de transferências. No entanto, até o momento, não existe nenhum tipo de negociação entre as partes.

Alisson segue em contrato no Liverpool até o final de junho de 2027. O brasileiro está satisfeito no futebol europeu e ainda não se manifestou sobre a possibilidade de ser transferido para a Arábia Saudita. O interesse é real e a transferência do arqueiro pode ser mais uma das transações milionárias que estão sendo realizadas pelos clubes árabes.

Nas últimas semanas, os times da Arábia Saudita acertaram negociações milionárias que chamaram a atenção no mundo do futebol. Alguns dos jogadores transferidos foram: Riyad Mahrez, Allan Saint-Maximin, Edouard Mendy, Roberto Firmino, Franck Kessié  e Roger Ibañez. Outros nomes estão sendo estudados e grandes astros ainda podem desembarcar no Oriente Médio.

O atacante Neymar Júnior, do Paris Saint-Germain e da Seleção Brasileira, é um dos jogadores que está próximo de entrar em campo no futebol árabe. O atleta assinou um dos maiores contratos da história com o Al-Hilal. O profissional de 31 anos defenderá as cores do clube da Arábia Saudita nas próximas duas temporadas.

O movimento dos clubes árabes está acontecendo depois de um aporte do governo. Além disso, a transferência de Cristiano Ronaldo, na temporada passada, serviu de incentivo para alguns jogadores. Desta forma, os times da Arábia Saudita estão se reforçando com grandes astros do futebol europeu e Alisson Becker, do Liverpool, pode ser o próximo.

Quanto o Internacional receberá por Alisson?

Caso o goleiro Alisson Becker aceite a proposta da Arábia Saudita, o Internacional terá direito a uma parcela da negociação. O clube é protegido pelo mecanismo de solidariedade da Fifa, que prevê 5% do valor total da transação para os times formadores dos atletas.