A um dia do fechamento da janela: como foram as contratações do Inter pós-Paulo Bracks

A janela de transferências para o futebol brasileiro se encerra nesta terça-feira (12) e diversos nomes circulam nos bastidores do Inter, enquanto a direção corre contra o tempo para reforçar o elenco neste primeiro semestre. A grande mudança em relação ao início da temporada é a falta de um executivo de futebol. Com o desligamento de Paulo Bracks, no dia 04 de março, quem tem tocado as negociações para a chegada de atletas no elenco é o vice de futebol Emílio Papaléo, ao lado do analista de mercado Deive Bandeira.

Após a saída de Bracks, que estava no clube desde dezembro de 2020, o Inter anunciou cinco reforços, além do Diretor Técnico Paulo Autuori, que foi uma promessa de campanha da gestão do Presidente Alessandro Barcellos. Desde a saída do executivo, foram anunciados os atacantes Wanderson, Carlos de Pena e Alemão, o zagueiro Vitão e o lateral-esquerdo Renê.

Conflito entre Rússia e Ucrânia como um facilitador

Das cinco contratações feitas na era pós-Paulo Bracks, três delas são de atletas que tiveram seus contratos suspensos por conta dos conflitos entre Rússia e Ucrânia, são elas: Wanderson (Krasnodar-RUS), Carlos de Pena (Dínamo de Kiev-UA) e Vitão (Shakhtar Donetsk-UA). Os três jogadores vieram com vínculo de empréstimo, enquanto Alemão e Renê assinaram em definitivo.

Comentários do Facebook

- Publicidade -