Inter avalia nomes e descarta dois treinadores

Diego Aguirre não vai permanecer em Porto Alegre e o Internacional está em busca de um treinador para 2022. O clube avalia nomes e está filtrando as melhores opções. Dois técnicos já foram descartados e estão oficialmente fora do Colorado, segundo o jornalista Vagner Martins.

O primeiro é o técnico Jorginho, do Cuiabá. O comandante conseguiu a permanência na Série A, ficando em 15° com 47 pontos, mas o perfil não agrada a direção.

O segundo é Mano Menezes, que está sem clube desde a passagem pelo Al-Nassr, da Arábia Saudita. Foi um dos treinadores de maior sucesso no futebol brasileiro na década passada, mas os trabalhos recentes não foram tão vitoriosos.

O treinador conhece o Internacional pelo fato de ter comandado o juvenil do clube entre 2000 e 2001, depois de passar por um processo seletivo. A passagem pelo Colorado abriu as portas para Mano Menezes ter outras oportunidades no meio do futebol.

O Clube do Povo segue em busca de um comandante e o anúncio deve ocorrer o mais rápido possível, já que a direção aguarda a decisão para começar a tratar sobre possíveis reforços e transferências de jogadores do elenco.

A passagem de Mano Menezes pelo Inter

O começo da passagem de Mano Menezes pelo Internacional começou graças à seletiva que foi realizada para assumir o cargo no juvenil do clube.

“A gente estava com a a ideia de modernizar os processos, abrimos a vaga, hoje é mais comum isso. Traçamos o perfil, recebemos mais de 200 currículos, mas a gente procurava um perfil que tinha que ser formado em Educação Física, ter alguma experiência com base, com formação, estar ligado no que estava acontecendo no futebol, se estava acompanhando a evolução de uma forma geral e ter liderança. Eram as quatro, cinco características que a gente desenhou”, afirmou João Paulo Medina, que era executivo do Inter na época.

“Fizemos uma avaliação, o presidente, inclusive, na época, estava apoiando o trabalho e participou também da entrevista, junto com outros profissionais da base e do futebol. Entrevistamos quatro ou cinco, e inclusive um era meu amigo, que tinha trabalhado comigo na Arábia Saudita e era muito bom. Mas aí o Mano ganhou, foi o melhor de todas e a gente o contratou”, disse o ex-dirigente.

- Publicidade -