Inter corre o risco de ser excluído do Brasileiro por causa de Vitão?

O Internacional sofreu um “susto” jurídico na última semana com o caso Vitão. O jogador foi notificado com alegações de que o contrato de empréstimo, que foi estendido com base na decisão da Fifa, era inválido e que o defensor teria que retornar imediatamente para a Ucrânia. Esse fato deixou os colorados com medo sobre o que o clube poderia sofrer.

O Shakhtar Donetsk faz sua alegação dizendo que Vitão e Inter não buscaram um comum acordo com o time ucraniano. Algo que seria exigido pela FIFA para que fosse viabilizada a suspensão contratual. Esta conversa com o clube detentor do passe do jogador deveria acontecer até o dia 30 de junho. Depois disso, o jogador estaria autorizado a suspender o seu vínculo.

Com essa notificação, surgiu a dúvida sobre quais as punições poderiam ser instauradas ao Colorado em caso de a decisão favorável ao time do leste europeu. Porém, nenhum problema deve se estender para as participações do clube nas competições. Enquanto o atleta está regularizado no BID, pode atuar normalmente sem o Inter sofrer exclusão dos campeonatos.

Confira a manifestação do Inter

Shakhtar não cobra somente o Inter

O Shakhtar Donetsk está pedindo um ressarcimento de 50 milhões de euros (R$ 272 milhões) para a Fifa. O clube ucraniano entrou com uma ação no TAS (Tribunal Arbitral do Esporte) para que a entidade máxima do futebol pague essa quantia. O motivo da ação é a regra que permite a suspensão dos contratos de atletas que atuam na Ucrânia e na Rússia.

Em um primeiro momento a suspensão era de três meses, porém foi prorrogada por mais um ano (até junho de 2023). O Shakhtar Donetsk perdeu diversos jogadores por conta da medida e pede para que a Fifa pague o valor que o clube deixou de ganhar no período. No documento enviado ao tribunal, os ucranianos utilizaram diversos exemplos de jogadores.

Comentários do Facebook

- Publicidade -