Estes são os motivos para o Inter buscar um técnico estrangeiro

- Publicidade -

- Publicidade -

A diretoria do Inter tem uma preferência por um técnico estrangeiro e os motivos para essa escolha estão relacionados com o método de trabalho. Diferentemente do modo de trabalhar dos brasileiros, que têm uma abordagem mais paterna e passiva, os estrangeiros são mais rigorosos. O volume de trabalho, a forma abordagem e a maneira de se relacionar pesam em favor dos treinadores de fora.

Aliás, essa maneira de pensar não é nova no Colorado. Há mais de uma década os profissionais de fora do Brasil são procurados e contratados para comandar o time. Os nomes mais recentes foram os do argentino Eduardo Coudet e do espanhol Miguel Ángel Ramírez, que deixaram lições positivas e negativas no Beira-Rio.

- Publicidade -

Por isso, o sucessor de Diego Aguirre à frente da equipe, deve permanecer sendo um estrangeiro. Representantes do Inter estão na Argentina para conversar com Eduardo Domínguez, Alexander Medina e Sebastián Becaccece.

Inter deve ter treinador estrangeiro em 2022

Dos nomes citados, os dois preferidos da direção do Inter são Domínguez e Medina. Os dois fizeram uma boa temporada em seus clubes e agradam pelo futebol ofensivo.

- Publicidade -

O favorito é o argentino Eduardo Domínguez, de 43 anos. Atual treinador do Colón, ele levou o clube a sua conquista mais relevante na história, a Copa da Liga Profissional, vencendo o Racing por 3 a 0, e levando o time à Libertadores. O genro do lendário técnico do Vélez e do Boca, Carlos Bianchi, tem contrato até o fim de 2022, mas há uma cláusula que torna possível a sua saída agora.

O plano B é Alexander Medina, treinador uruguaio também de 43 anos. No comando do Talleres, ele fez uma ótima temporada, levando a equipe argentina ao terceiro lugar do campeonato nacional e garantindo uma vaga na Libertadores. O contrato de ‘El Cacique’ com o clube termina em 31 de dezembro, mas o presidente assegurou a sua permanência.

Comentários do Facebook

- Publicidade -