Internacional favorito no GreNal? Presidente diz que não

- Publicidade -

- Publicidade -

O presidente do Internacional, Alessandro Barcellos, acredita que o clássico deste sábado (6), às 19h, não tem um favorito. Mesmo com o tricolor em 19º lugar da competição e o Colorado brigando por Libertadores, ele preferiu não assumir essa responsabilidade.

“Não. Não concordo hoje, não concordei antes e não concordarei no futuro. Já vi muitos clássicos GreNais e não há favorito. Clássico é clássico. As equipes buscam se equipar, o momento é importante para as duas equipes. Eu não vejo favorito para o clássico e acho que vai ser bem disputado e equilibrado”, comentou, em entrevista à Rádio Bandeirantes.

- Publicidade -

Para o presidente, é importante somar os 3 pontos para continuar sonhando com uma vaga direta na fase de grupos da Libertadores. Além disso, a cada posição que o time terminar acima na tabela, ganha cerca de R$ 1 milhão a mais. “O Inter tem sempre responsabilidade de ganhar, assim como o Grêmio também tem. Essa é uma obrigação”, declarou.

Alessandro Barcellos reconhece a importância do GreNal

Por mais que reconheça a situação ruim do time adversário, para Alessandro Barcellos esse não é um jogo decisivo, já que não vai valer taça.

- Publicidade -

“É um jogo diferente, a gente sabe dos ingredientes que compõe um clássico GreNal, isso é inerente a qualquer gestão, a qualquer momento e a qualquer certame, seja ele Gaúcho, nacional ou Libertadores. Tem sempre os ingredientes e é tratado dessa forma, não é uma decisão porque não vale título. Decisão se tem quando vale título e campeonato”, comentou.

Embora o rival esteja em situação ruim, o presidente tenta não misturar as coisas. Segundo ele, é preciso pensar apenas neste jogo, para que o Inter saia vitorioso. Então, os jogadores não podem ser influenciados pelo desejo dos torcedores em ver o rival na Série B.

“A gente percebe que tem esses momentos, essa opinião do torcedor. A gente busca ter aqui dentro esse foco, para que isso não tenha nenhum desvio de atenção e sim uma concentração para aquilo que nos interessa mesmo, que é a vitória”, explicou.

Comentários do Facebook

- Publicidade -

8 técnicos para comandar o Internacional em 2022