Internacional lidera movimento contra a violência nos estádios

O Internacional será pioneiro em movimento contra a violência nos estádios. Isso porque o presidente do Colorado, Alessandro Barcellos, levou à CBF uma proposta para abertura de um amplo debate em favor da paz para o torcedor que acompanha o futebol brasileiro.

A situação ocorreu dias depois do episódio no Beira-Rio que antecedeu o GreNal, sendo incentivada também pelo atentado contra o ônibus do Bahia e a confusão entre torcedores e jogadores do Paraná.

Na assembleia da CBF, nesta segunda-feira (7), o presidente interino Ednaldo Rodrigues apresentou o “Manifesto a favor da vida e do futebol brasileiro”. A pauta tem o objetivo de criar uma frente para discutir medidas contra a violência nos estádios.

Como iniciativa, a CBF projeta a realização de dois seminários para falar sobre o assunto. O primeiro falará sobre as medidas adotadas em outros países, conversando também com outros órgãos de segurança públicos e agentes privados do futebol.

O outro seminário reunirá clubes e federações com o objetivo de preparar no combate à violência. Medidas de sucesso tomadas por ligas de outros países serão divulgadas para conhecimento das equipes brasileiras.

A Fifa também foi convidada e fará parte da ação. A entidade terá um departamento responsável por fomentar a profissionalização do futebol pelo mundo presente durante o seminário.

Internacional: Barcellos sobre o atentado

O presidente Alessandro Barcellos se manifestou logo após o atentado ao ônibus do Grêmio. O mandatário colorado se colocou contra os ocorridos e defendeu a não realização do clássico GreNal.

“O Inter manifesta sua contrariedade a esses episódios de violência que têm acontecido, que aconteceu na Bahia e hoje aqui. O Inter vai contribuir para que sejam localizados e identificados aqueles que fizeram isso”, disse o presidente.

Comentários do Facebook

- Publicidade -