Internacional não consegue suportar a pressão dos adversários

Defesa fica exposta e quando os rivais atacam, gols são marcados

0

O Internacional simplesmente não consegue suportar a pressão dos adversários e isso não vem de hoje. Quando Pedro Henrique foi expulso e o Vitória começou a atacar, ficou na cara que conseguiram marcar gols. O problema é que foram 3, para eliminar o Clube do Povo.

Por algum motivo, quando um adversário começa a atacar, o Inter não resiste. Por mais que o Colorado tenha acabado o Brasileirão 2020 com a melhor defesa do torneio, a situação com Eduardo Coudet era complicada. Com Abel Braga melhorou um pouco.

E agora, com Ángel Ramírez, é raro terminar um jogo com a defesa em branco, não acontece mais. O sistema defensivo fica exposto aos contra-ataques e não é preciso de muita coisa para fazer gols no Internacional. O novo treinador terá que rever essa condição.

Alguns torcedores criticam Marcelo Lomba, dizendo que tudo o que vai no gol entra, mas não é bem assim. Não fosse ele, o clube estaria em situação pior, possivelmente derrotado pelo Always Ready na Libertadores e goleado no GreNal da Arena.

O que acontece com a defesa do Internacional?

Desde a época em que Odair Hellmann ainda era o treinador do clube, quando algum adversário começava a pressionar e mantinha o ritmo, fazia o gol. O que já não era bom, essa questão de ceder a pressão, ficou muito pior com o espanhol.

O novo treinador precisará fechar a casinha. Na Europa os times estão adotando o 3-5-2, quem sabe seja a solução, jogando com Lomba; Cuesta, Dourado e Lucas Ribeiro; Saravia, Johnny, Edenilson, Boschilia e Patrick; Taison e Yuri Alberto.

Nesse esquema, o time ainda tem boas opções, como Moisés e sua bola parada e Thiago Galhardo, além de Guerrero.

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.