Internacional tenta imitar o Corinthians de 2011

O Internacional tem o Corinthians de 2011 como referência para esta temporada. Naquele ano, o time paulista não demitiu Tite, e o futuro mostrou que a decisão mudou a história do clube. Inspirado nisso, Medina foi mantido após momento conturbado e demonstrou no GreNal que pode haver evolução no trabalho.

Com um início ruim no Beira-Rio, Alexander Medina viu o seu trabalho ser questionado e chegou a balançar no cargo. O treinador e a equipe foram vaiados em casa mesmo após a vitória sobre o Aimoré, por 1 a 0, pelo Gauchão. A reação do torcedor foi referente aos resultados e desempenhos ruins.

Desde o fim do ano passado o Colorado não se encontra. O fim de temporada ruim não desapareceu na virada do ano, pelo contrário, as coisas pareciam não ter mudado. O time já começou a temporada tropeçando no estadual e sendo eliminado de forma vergonhosa na primeira fase da Copa do Brasil.

Entretanto, a vitória no GreNal deu esperança para a torcida. A equipe jogou bem e podia, inclusive, ter vencido por mais. Prevendo uma melhora futura, Medina foi mantido, e um paralelo com o Corinthians de 2011 pode ser feito.

Internacional se espelha na escolha do Corinthians

Em 2011, a pressão no Alvinegro paulista era grande após a eliminação na fase preliminar da Libertadores para o Tolima. A derrota, por exemplo, fez com que Ronaldo anunciasse a aposentadoria do futebol.

No entanto, Andrés Sanches resolveu manter Tite no comando. Apostando a longo prazo, o time de Itaquera foi campeão brasileiro ao fim daquele ano, e no ano seguinte venceria a Libertadores e o Mundial.

“Protesto vai ter mesmo. A torcida vai xingar os jogadores, o técnico, a mim. Eu só acredito que não vai ter agressão. E o Tite continua como técnico. Se eu mandar embora sou burro, se mantiver, sou burro também. Vou com a minha convicção”, declarou o presidente corintiano na época.

Comentários do Facebook

- Publicidade -