Lateral e centroavante viram prioridades para a direção do Inter

A janela de transferência do Internacional, atualmente, não passa de rumores e negativas. O time gaúcho procura algumas peças para reforçar o elenco de Mano Menezes, que quer brigar na parte de cima da tabela de classificação do Campeonato Brasileiro e pelo título da Copa Sul-Americana. Porém, para que a equipe vá bem, algumas peças ainda tem que chegar.

O departamento de futebol colorado se movimenta para trazer duas peças que seriam importantes para o esquema. Um centroavante para ser titular absoluto, resolvendo o problema na conclusão das jogadas, o que já é tema no time há tempos, como já disse o treinador. “Essa conversa do centroavante está bem clara, não precisamos falar mais, né? Estávamos precisando até com Wesley”.

Agora, outra posição que entro na lista foi a de lateral-direito, tendo em vista a saída de Heitor por empréstimo, que deixa o time sem opções, o que já foi tema de Mano Menezes em coletiva nesta semana.

“Certamente vamos ter de solucionar. Nós teremos de repor com um segundo jogador da posição imediatamente. Não temos um segundo jogador na posição. Poderíamos recorrer a base, mas, na avaliação que fizemos, vimos que o lateral-direito da base é recém-chegado e precisa evoluir mais”, declarou o comandante do Internacional após a partida contra o São Paulo.

Internacional tem espaço na folha para reforços

O Clube do Povo viabilizou algumas saídas nesta janela. O lateral direito Heitor, os laterais esquerdos Moisés e Léo Borges, o zagueiro Bruno Méndez, os volantes Rodrigo Dourado e Bruno Gomes, o meia-atacante João Peglow e os atacantes Thiago Galhardo e Wesley Moraes.

Galhardo, Peglow e Léo Borges já estavam emprestados e não mudaram nada no time. Porém, com a saída dos demais nomes, o Internacional somou cerca de R$ 2 milhões de economia na folha salarial mensal, o que abre espaço para movimentações um pouco mais agressivas do time no mercado. Alguns nomes já estão na pauta, mas nenhum ainda encaminhado.

- Publicidade -