Mano Menezes chega ao Inter com licença UEFA PRO

Rotulado como ultrapassado por parte da mídia brasileira, Mano Menezes não perdeu tempo quando observou a onda de estrangeiros chegando ao futebol brasileiro. Ainda em 2015, quando chegou a ser especulado no Inter pela gestão Piffero, preferiu não trabalhar e buscou qualificação na Europa.

Estudando 6 meses em Portugal, finalizou o quarto nível do Uefa Pro, curso europeu voltado para treinadores, qualificando aspectos como metodologia de treinado, psicologia, gestão e outros temas importantes para o futebol internacional.

“O curso superou todas as expectativas. Eu já tinha boas informações sobre o curso em Portugal. O curso de formação varia um pouco de país para país, na Europa, mas o modelo português tem chamado a atenção pela complexidade, pela complementação que é dada em termos práticos e pelas questões teóricas que são abordadas. O nível 4, que eu cursei, tem 250 horas de duração e aborda gestão, psicologia esportiva, relacionamento com a imprensa, metodologia de treinamento, enfim, todas as questões que envolvem diretamente a vida de um técnico e que, quanto mais e melhor ele dominar, mais ele vai estar preparado para a tomada de decisões no dia a dia”, disse Mano após retornar ao Brasil e começar seu trabalho no Cruzeiro.

Mano Menezes já se mostrou um pouco desconfortável com perguntas relacionadas aos treinadores estrangeiros no Brasil. Em entrevista ao “Bem Amigos!”, chegou a responder que o ideal seria a importação de comentaristas portugueses, rebatendo perguntas sobre os profissionais que estavam chegando ao cenário nacional.

Uma das dificuldades dos técnicos brasileiros quanto a validação das qualificações é a defasagem da CBF, que está buscando melhor reconhecimento de seus treinamentos e validação internacional dos certificados, algo que a confederação argentina já conseguiu há décadas, justificando os inúmeros profissionais argentinos treinando na Europa.

“Eu fui lá justamente para buscar isso. Abri mão de trabalhar no primeiro semestre para fazer o curso da Uefa Pro e saí de lá muito impressionado positivamente. Acho que este é o caminho para os nossos técnicos. Trazer esta exigência para o Brasil, para que nossos técnicos estejam sendo formados neste mesmo nível. Porque eu tenho certeza que isto influenciará diretamente na recuperação que temos que fazer em relação ao cenário internacional do futebol mundial”, comentou Mano em 2015 sobre a qualificação na Uefa.

Comentários do Facebook

- Publicidade -