Portal do colorado
Portal de Noticias do Sport Club Internacional

Mano Menezes diz SIM e Inter vai atrás de coringa para o meio de campo

Um dos possíveis reforços do Inter para a próxima temporada, o meia Igor Gomes tem o contrato com o São Paulo se encerrando em março, o que pode ser um facilitador nas negociações. Mas o que chama a atenção da comissão técnica de Mano Menezes são outras coisas.

O jogador de 23 anos, revelado pelo time do Morumbi é considerado como uma peça rara. Em 77 jogos do São Paulo na temporada, Igor Gomes jogou 61, tem seu contrato se encerrando e não há esperança da diretoria do Tricolor Paulista em uma renovação, portando, o atleta já pode assinar um pré-contrato com qualquer outro clube.

Olhando o mercado e o nome do Igor Gomes, a comissão técnica do Internacional se anima. O jogador é visto como um atleta de intensidade, um meia que é uma espécie de “coringa”, podendo atuar em diversas funções do meio-campo, muito elogiado por seu vigor, sendo muito participante nas partidas.

Essa intensidade, acompanhada de força e vigor, além do fato de ter atuado em ao menos quatro funções diferentes em 2022 chamam muito a atenção do Inter. A visão é de que ele se encaixe muito bem no estilo de jogo do técnico Mano Menezes.

Relação de Igor Gomes com o São Paulo

A história de Igor Gomes com o São Paulo é antiga. O Tricolor começou a monitorar o jogador ainda em 2009, quando ele ainda tinha 10 anos e jogava no Tanabi, mas aos 14 se transferiu para as caterorias de base do São Paulo.

Desde cedo conviveu com a expectativa criada pela torcida e a diretoria, além de ter sido comparado desde cedo com o ídolo Kaká.

As expectativas aumentaram ainda mais no seu segundo jogo como titular do time, ainda quando tinha 20 anos, em 2019 quando decidiu a partida contra o Ituano pelo Campeonato Paulista, onde marcou os dois gols na vitória do São Paulo por 2×1.

Porém, as boas atuações, identificação com o clube e sua polivalência no meio-campo do São Paulo não foram o suficiente para evitar os problemas com a torcida. O atrito chegou a ser contestado por Rogério Ceni, mas não funcionou. Agora, a tendência é que o jogador deixe o clube em um clima nada amigável.