Medina já teve três longos períodos para treinar o Inter

Alexander Medina teve períodos raros para treinar o Internacional nesta temporada. Ao todo, o técnico contou com três intervalos de tempo que funcionaram como intertemporadas, algo impensável se tratando de futebol brasileiro. No entanto, o uruguaio parece não ter aproveitado nenhuma delas.

Primeiro, o treinador teve a pré-temporada, que se iniciou no dia 11 de janeiro e se estendeu até o dia 26. Foram 15 dias de preparação para encarar o Juventude, na estreia do Gauchão 2022, e começar bem a temporada. Porém, a realidade foi de dificuldade e muitos erros da equipe.

Para corrigir, ele teve um segundo período sem jogos. Devido ao adiamento do GreNal, no dia 20 de fevereiro, pela primeira fase do estadual, o time ficou mais 13 dias focado nos treinamentos, até jogar novamente no dia 3 de março, contra o Globo. O resultado foi um vexame histórico na primeira rodada da Copa do Brasil.

Mais recentemente, o técnico pôde contar com um novo intervalo de dias para corrigir as falhas da equipe. Com a eliminação no Campeonato Gaúcho, o Colorado ficou do dia 23 de março até o último dia 6 sem entrar em campo. Foram duas semanas de preparação para a estreia na Sul-Americana.

Inter não demonstrou evolução com Medina

O tropeço na estreia da Sul-Americana foi novamente um indicativo de não evolução do trabalho do uruguaio e sua comissão técnica. A equipe abriu 2 a 0 de vantagem para o 9 de Octubre, do Equador, e viu o adversário crescer no jogo, empatar e quase virar.

O torcedor colorado olha para o time dentro de campo e não enxerga em qual direção ele pode ir a não ser pelos caminhos mais pessimistas. Infelizmente, as expectativas para a Sul-Americana e para o Brasileirão não são de salvação da temporada, mas de um desfecho pior que o de 2021.

Comentários do Facebook

- Publicidade -