Portal do colorado
Portal de Noticias do Sport Club Internacional

Não foi só uma vez! Mais uma acusação de assédio contra o mascote do Inter

Mais uma acusação de assédio acabou surgindo recentemente em relação ao mascote do Inter, pegando os torcedores de surpresa. Um caso complicado já tinha sido revelado alguns dias atrás, mas, neste momento, a situação acabou se expandindo ainda mais, já que mais uma vítima acabou prestando depoimento e afirmando também ter sofrido com o suposto assédio.

Depois da disputa do último Gre-Nal, que aconteceu pela primeira fase do Campeonato Gaúcho de 2024, a jornalista Gisele Kumpel foi até as suas redes sociais e fez uma grave denúncia em relação a um funcionário do Clube do Povo. Segundo ela, depois do gol de Alan Patrick, nos acréscimos, o mascote Saci teria a importunado sexualmente nos arredores do gramado.

“Quando deu o pênalti para o Inter, tive a sensação de que ele ia me tirar do sério. Fui para o lado, fiquei mais longe dele, deixando pessoas entre nós para ele não me incomodar. Quando deu o gol, fez mais gestos para mim e quando percebeu que ignorei, ele me abraçou e com uma mão nas minhas costas, deu uma levantadinha na máscara e me deu um beijo, quase na boca. Senti o estalo e o suor que ele estava. Dei uma leve empurrada porque me assustei”, contou, em suas redes sociais.

Mais uma acusação sobre o mascote do Inter

Agora, a situação acabou voltando à tona, porque mais um caso acabou sendo revelado. De acordo com informações da GZH, mais uma mulher teria prestado depoimento acusando o mascote de importunação sexual, com o episódio também se desenrolando no clássico citado. A vítima seria uma torcedora do Inter, que decidiu ir até a Polícia fazer a nova denúncia.

Assim como fez no primeiro caso, o time gaúcho afirmou que disponibilizará as imagens do setor citado para a Justiça. Vale ressaltar que o homem que interpreta o Saci já deu depoimento na Delegacia Especializada no Atendimento à Mulher de Porto Alegre (DEAM). O funcionário foi afastado dos seus trabalhos dentro do Colorado depois da primeira denúncia.