O que muda no Internacional sem Papaléo?

Atualmente uma das funções da diretoria do Internacional está vaga. Papaléo pediu demissão na última semana e agora deixa dúvidas sobre o impacto de sua saída da vice-presidência de futebol do Clube do Povo. Ainda não há certeza sobre quem assumirá em seu lugar, e a presença deveria ser ainda mais sentida neste momento, às vésperas da abertura da janela de transferências.

Porém, ao que tudo indica, o trabalho de Papaléo no Colorado não era tão essencial assim. O dirigente tinha, de certa forma, um cargo decorativo como vice de futebol, não tendo um papel ativo na procura e negociação de atletas para reforçar o time gaúcho, deixando essa função na mão de outros integrantes da diretoria.

O Internacional profissionalizou o departamento nesta gestão e não vê como uma prioridade determinar um novo nome para o cargo. Atualmente alguns nomes no clube já lidam com a função e continuam, diariamente, cuidando do futebol colorado. Barcellos se reunirá com os vice-presidentes do Conselho de Gestão para definir o novo nome no cargo do Clube do Povo.

Inter tem departamento de futebol profissionalizado

Na gestão do presidente Alessandro Barcellos, houve a profissionalização do departamento de futebol. Não sendo sentida a falta de Papaléo neste quesito, o próprio mandatário do Inter participava mais ativamente das negociações do clube.

Atualmente o diretor Paulo Autuori é quem analisa e sugere nomes para serem estudados como possíveis reforços do Clube do Povo, enquanto o executivo William Thomas que toma à frente nas negociações para o acerto com as partes.

O Centro de Análise e Prospecção de Atletas do clube (CAPA), também aparece como parte ativa na busca e análise de reforços para o time. Atualmente os nomes são analisados de diversas maneiras e de forma mais especializada e profissional.

Comentários do Facebook

- Publicidade -