Torcidas organizadas de Inter e Grêmio recebem suspensão de 3 meses

Na última segunda-feira (18), o Juizado do Torcedor e Grandes Eventos (JTGE), do Tribunal de Justiça do Rio Grande do Sul, puniu as torcidas organizadas de Inter e Grêmio. Os grupos de torcedores foram penalizados pelos episódios ocorridos nos GreNais 435 e 437. Dessa forma, as organizadas ficarão longe das arquibancadas por 90 dias.

Seja como mandante ou visitante, onde os clubes atuarem, as torcidas rivais estão proibidas de entrar nos estádios. Não podem utilizar uniformes, faixas, quaisquer tipos de identificação e instrumentos de percussão. A suspensão das organizadas tem por objetivo viabilizar a apuração dos fatos na esfera criminal.

Assim sendo, a punição é válida por 3 meses. No caso do Clube do Povo, será ao longo de mais de 10 rodadas do Brasileirão, podendo também abranger a Sul-Americana, dependendo do avanço do time na competição. Já o outro lado perderá por volta do mesmo número de rodadas, mas da Série B do Campeonato Brasileiro.

Punição ao Inter

As organizadas coloradas punidas foram: Camisa 12, Força Feminina, Nação Independente e Super Fico. 

Conforme o despacho, a penalidade é referente aos episódios acontecidos no Gre-Nal 437, em 23 de março, na Arena. O clássico foi válido pela partida de volta da semifinal do Gauchão. Na oportunidade, os integrantes das torcidas mencionadas arremessaram rojões e sinalizadores em direção à torcida gremista.

Punição ao Grêmio

Pelo lado gremista, as organizadas penalizadas foram: Garra Tricolor, Geral, Jovem e Rasta. 

O motivo da punição foram as “manifestações de cunho racista” proferidas pelos integrantes das torcidas referidas. No GreNal 435, que ocorreu no dia 9 de março, no Beira-Rio, pela primeira fase do estadual, os torcedores presentes no estádio realizaram cânticos racistas em relação aos rivais.

Comentários do Facebook

- Publicidade -