Perícia contratada por Rafael Ramos aponta palavras ditas pelo jogador

O escritório de advocacia responsável pela defesa do lateral Rafael Ramos contratou uma perícia particular para fazer leitura labial nas imagens geradas pelo Premiere durante a partida entre Internacional e Corinthians. Edenilson afirma que o lateral o chamou de “macaco” no último sábado (14).

O atleta corintiano chegou a ser preso e precisou pagar fiança de 10 mil reais para deixar o Estádio Beira-Rio depois da partida. A perícia oficial ainda não foi divulgada e pode levar até 30 dias para chegar a uma conclusão.

O Centro de Perícias de Curitiba, no entanto, afirma ter chegado a uma conclusão. Segundo o UOL, os peritos Anderson Marcondes Santana Júnior, Daniela Cristina Silva Lima Ramos Guidugli e Giovana Giroto analisaram os 28 segundos de imagens e concluíram que Rafael Ramos disse “Pô, caralho!”.

De acordo com o documento, a letra “m” só pode ser pronunciada quando os lábios se tocam, independente do idioma ou dialeto, e isto não teria acontecido no vídeo. Portanto, a palavra “macaco”, que figura injuria racial, não teria sido pronunciada por Rafael Ramos.

“A palavra ‘macaco’ não consta na fala questionada, ficando comprovado que em nenhum momento houve a junção labial no início da pronúncia, com a formação da sílaba ‘ma’, conforme imagens abaixo demonstradas ‘frame a frame’ contendo informações de tempo, conforme o vídeo recebido para perícia”, diz trecho do laudo.

Segundo a Polícia Civil, no entanto, no depoimento de Rafael Ramos consta outra frase: “Foda-se. Mano, caralho”. No entanto, o ocorrência não foi disponibilizada publicamente. A Polícia Civil do Rio Grande do Sul aguarda laudo técnico do Instituto Geral de Perícias para concluir o caso.

Comentários do Facebook

- Publicidade -