Rafinha Bastos revela quando abandonou o Internacional

A torcida em um time de futebol é muito passional e no Internacional não poderia ser diferente. Porém, com tanto sentimento envolvido, alguns traumas e eliminações são pesados, não deixando o adepto em paz por muito tempo.

 E com Rafinha Bastos também não seria diferente. O comediante recentemente deu uma entrevista ao programa Goal Betshow, onde se declarou torcedor do Internacional, porém, não tão envolvido como já teria sido, devido à um trauma em uma campanha do time na Copa Libertadores da América e um evento traumático que sucedeu uma partida, culminando na queda do seu envolvimento.

“Eu sou torcedor colorado, hoje em dia não tão mais envolvido, já fui muito envolvido até 1993, quando o Inter numa Libertadores, num grupo de quatro, três passavam e ele conseguiu a façanha de ficar em quarto. Foi uma decepção muito grande para mim e na saída do jogo o meu pai foi assaltado, foi uma desgraça”, explicou Rafinha.

Inter terminou a Libertadores em 93 sem vitórias

Na edição da Copa Libertadores da América citada por Rafinha, em 1993, o Internacional acabou caindo na primeira fase, que seria de grupos. O Colorado estava em um grupo com o Flamengo, além de América de Cáli e Atlético Nacional, ambos da Colômbia, e acabou ficando em último colocado.

Com apenas três pontos somados, o Clube do Povo encerrou sua participação após os seis jogos dessa primeira fase, sem ter uma vitória na campanha. Como três times passaram de fase naquela edição, o desempenho do time ficou ainda mais decepcionante.

Na edição de 1993 o São Paulo se sagrou Campeão da Copa Libertadores da América novamente, logo depois do seu primeiro título, no ano anterior. O Internacional foi campeão da competição alguns anos depois, em 2006, e repetiu o feito em 2010.

Comentários do Facebook

- Publicidade -