Sem Bracks: Quem está conduzindo os negócios do Inter?

Com a demissão do diretor-executivo, Paulo Bracks, o Inter tem outro nome conduzindo os negócios no clube. Trata-se de Deive Bandeira, gerente de mercado, que faz parte do Centro de Análise e Prospecção de Atletas, o Capa. Até que um novo profissional seja contratado, Deive segue exercendo as funções do cargo.

É Bandeira, por exemplo, quem está conduzindo as negociações mais recentes do Colorado. As conversas com o Krasnodar, da Rússia, a respeito do empréstimo do atacante Wanderson, estão sob a responsabilidade dele.

A atuação dele nesse tipo de atividade, no entanto, não é nenhuma novidade. Deive esteve na comitiva do clube que foi à Argentina, tratar da contratação de Eduardo Coudet, então treinador do Racing.

Enquanto isso, a diretoria busca um novo nome para o cargo de executivo de futebol no mercado. O nome preferido no Beira-Rio é o de Alexandre Mattos, atual CEO do Athletico.

Passagem de Bracks no Inter

A trajetória do dirigente em Porto Alegre durou pouco tempo. Contratado no final de 2020, ele ficou pouco mais de um ano no cargo. O executivo vinha de um grande trabalho feito no América-MG, que levou o time de volta à Série A do Campeonato Brasileiro.

Após a eliminação vexaminosa para o Globo-RN, na primeira fase da Copa do Brasil, Bracks foi desligado do clube. Nesta temporada, a missão dele era a de reformular o elenco colorado. Depois de um ano ruim, no qual o time ficou sem títulos e uma amarga 12ª colocação no Brasileirão, uma mudança no clube era esperada.

No entanto, o início de ano ruim do time foi o suficiente para a demissão. O desempenho apresentado é ruim, e os resultados acompanham o que está sendo feito dentro de campo.

Comentários do Facebook

- Publicidade -