Sindicato torna público escândalo envolvendo salários no Inter

Um novo escândalo está pairando sobre o Inter. Dessa vez, ele é comandado pelo Sindicato dos Empregados em Clubes Esportivos e Federações Esportivas do Rio Grande do Sul (Secefergs).

O Secefergs entrou em contato com o Inter no começo deste mês, para que o clube solucione as pendências que possui com os profissionais do clube. Em suma, o ofício que foi enviado ao Clube do Povo exigia um reajuste para o salário dos funcionários.

Pois, segundo o sindicato, não ocorre um reajuste desde 2018. Além disso, o documento ainda contava com uma grave acusação.

No ofício obtido pelos nossos colegas do Vozes do Gigante, estava escrito o seguinte: “O vice de Administração Victor Grunberg foi incansável em ouvir nossas ponderações, mas ele sempre dependia do CEO Giovane Zanardo, o qual, desde janeiro de 2019 tratou de triplicar seu salário e dos novos executivos”.

Por fim, a Secefergs afirmou que irá denunciar o Inter aos órgãos competentes, incluindo o Profut. Esse é um órgão do governo que em suma evita que os clubes brasileiros vão à falência.

O Vozes do Gigante entrou em contato com o Conselho de Gestão, que atacou o texto. Além de desconsiderar a acusação dos salários dos executivos terem sido triplicados.

Enquanto isso, o sindicato segue afirmando o que escreveu e alegou que o salário do CEO do Inter é de R$ 80 mil mensais. Valor muito superior aos dos gestores antigos.

Comentários do Facebook

- Publicidade -