Sonda presidente do Inter: o que precisa acontecer?

O empresário Delcir Sonda tem o sonho de ser presidente do Internacional. Parceiro financeiro do Colorado em diversas negociações, o mecenas mira o mais alto cargo diretivo dentro do clube. No entanto, para chegar à presidência, ele precisa cumprir os pré-requisitos necessários, que só o permitem se eleger em 2026.

Delcir faz parte do Conselho Deliberativo do Clube do Povo. Entrou na eleição de 2020, na chapa formada pelos movimentos ‘Colorado eu sou’, ‘Inter maior’ e “Movimento Inter grande”. Em janeiro de 2021, o empresário foi um dos 150 empossados.

Para concorrer à presidência, porém, é preciso ser sócio do clube por ao menos 10 anos e ter pelo menos quatro anos como membro do Conselho. É o que diz o artigo 31, parágrafo quarto, do Estatuto do Internacional.

Dessa forma, ele não pode concorrer ao cargo imediatamente, na próxima eleição que será no ano que vem, em 2023. Com apenas três anos como conselheiro, ele não terá um dos requisitos necessários. Assim, só estaria apto para se candidatar na eleição seguinte, que será em 2026.

Sonda criticou a atual gestão colorada

Empossado na mesma época em que se iniciou a atual gestão, Delcir não esconde as críticas que tem a fazer. Oposição do presidente Alessandro Barcellos, o mecenas detonou as escolhas feitas pela gestão em entrevista concedida à Rádio Gaúcha.

“Estamos com um time para cair para a Segunda Divisão. Vamos ver agora com a mudança do técnico. As coisas estão muito ruins. Não é possível que o clube esteja desta maneira. Os problemas são muito graves. A gestão tem de melhorar, no meu entendimento são principiantes. São muitos erros de contratação de jogadores, de técnicos”, declarou.

Comentários do Facebook

- Publicidade -