Thaigor Janke: Boschilia segue sendo o ficha 1 para deixar o Inter

A negociação que poderia levar Boschilia ao Cruzeiro acabou não dando certo. A partir disto a rota para o futuro do jogador está sendo recalculada pelos dirigentes colorados e pelo staff do jogador. A ideia segue muito parecida: liberar Boschilia para alguma outra equipe. Entretanto, o mercado do exterior aparece neste momento como o mais forte para levar o meia, principalmente pelas circunstâncias do possível negócio.

Boschilia não foi para o Cruzeiro em função do teto salarial da equipe de BH. Por lá, o salário mais alto é de 150 mil reais mensais. Como Boschilia ganha em torno de 400, no Beira-Rio, a distância ficou muito grande para Boschilia abrir mão ou até mesmo para o Internacional pagar. Por isto, o mercado brasileiro é visto como improvável para o atleta.

Ele recebeu, nos últimos meses, algumas sondagens do mercado árabe. E a perspectiva de transferência para lá, hoje, pareceria mais viável. Desta forma, o jogador poderia seguir no seu patamar salarial e o Inter não teria custos extras com o jogador, que não tem projeção de titularidade até o fim do ano com Mano Menezes.

A ideia do treinador inclusive, é utilizar o jogador. Mas aos poucos e como reserva atrás de Taison, Alan Patrick e Maurício. O jogador já afirmou em várias oportunidades que o objetivo da sua carreira é ter uma sequência de jogos. Ele entende que somente assim poderá se recuperar plenamente da grave lesão que sofreu ainda no ano de 2020. Desde que recuperou-se da cirurgia, Boschilia não conseguiu engatar uma sequência como titular. E este é tido como o principal motivo para a sua dificuldade em afirmar-se fisicamente.

O empresário do jogador está buscando propostas, a partir da abertura da janela de transferências. A direção do Inter já comunicou que deseja liberar o jogador, para onde ele quiser ir. Seguindo o seu plano de redução da folha salarial, que está em execução.

- Publicidade -