Grupo curto: Torcida do Inter lembra Coudet após áudio de Paulo Paixão

- Publicidade -

- Publicidade -

Ídolo e preparador físico do Internacional, Paulo Paixão teve áudio vazado em que criticou o elenco do Colorado, afirmando que o elenco é curto e carente de opções. Parte da torcida do Clube do Povo aproveitou o momento para lembrar de Eduardo Coudet, que constantemente reclamava da falta de peças no grupo.

Segundo Paulo Paixão, Diego Aguirre olha para o banco de reservas e não enxerga muitas opções: “O Diego (Aguirre, técnico) olha para trás, para o banco, e é só garoto. É o Boschilia enganador, que não é mais garoto, mas o resto é garoto. O time vai ter que contratar se quiser fazer alguma coisa para o ano que vem. Tem que contratar. E trocar umas peças que já estão, em termos de clube, há muito tempo. Faz uma permuta, Patrick com não sei quem, Dourado com não sei quem, Cuesta… Tem que fazer, tem que renovar, o vestiário está há muito tempo ali. Enfim, é difícil. O treinador olha para trás assim… E o Renato olha para trás e tem o Arrascaeta, não sei quem e não sei quem mais”, afirmou o preparador físico.

- Publicidade -

A reclamação sobre as peças que o Internacional tem no grupo de jogadores lembram as falas de Eduardo Coudet sobre o elenco curto. O treinador sempre falou sobre isso em entrevistas e afirmou que estava insatisfeito com a quantidade de atletas.

A torcida do Colorado aproveitou o momento para lembrar do Chacho, afirmando que as reclamações dele não estavam incorretas e não eram uma “desculpa”.

- Publicidade -

A demissão de Paulo Paixão no Inter

O preparador físico pediu demissão do Internacional e explicou o áudio vazado em anúncio oficial realizado junto ao Colorado.

“Olá, pessoal. Estou aqui para fazer um comunicado, houve um vazamento de áudio no qual fiz o desabafo com um amigo em particular. Infelizmente esse áudio vazou. Após esse vazamento, procurei meu diretor-executivo e pedi demissão. Nestes 47 anos de profissão, e peço desculpas aos jogadores, direção, comissão técnica, funcionários e torcedores do Inter, em todo esse tempo de profissão jamais me ocorreu isso. É um momento no qual eu tenho que entender que se eu errei, tenho que assumir o erro. Estarei na torcida. Com o trabalho desenvolvido com o Diego Aguirre dentro do vestiário, com certeza os atletas irão alcançar o objetivo que é a classificação para a Libertadores. Estarei em casa torcendo como nunca, fervorosamente, para que esse grupo junto com a direção, funcionários, comissão técnica e os torcedores, atinjam o objetivo. O Inter é grande, o Inter é campeão mundial”, afirmou Paulo Paixão.

Comentários do Facebook

- Publicidade -