Portal do colorado
Portal de Noticias do Sport Club Internacional

Vagner Martins perde as estribeiras e detona time do Inter

O Inter ficou no empate em 0 a 0 com o Juventude, no Alfredo Jaconi, pela ida das semifinais do Campeonato Gaúcho. O desempenho do Colorado acabou decepcionando o jornalista Vagner Martins, que comentou a atuação dos jogadores em sua coluna na GZH. O comunicador definiu a partida como um momento “irreconhecível” do clube em 2024.

“A palavra que define a atuação do time do Inter neste domingo (17) contra o Juventude é irreconhecível. Um time que havia ganhado os 10 jogos que disputou em 2024 não jogou o suficiente para ganhar e esteve muito perto da derrota. O resultado de 0 a 0 acabou sendo bom, uma vez que o Inter decidirá a vaga na final em casa”, salientou Vaguinha.

O Colorado teve dificuldade para encontrar alternativas contra o time comandado por Roger Machado. Após a partida, as justificativas indicaram que os atletas não conseguiram lidar bem com o gramado e o desgaste físico. No entanto, de acordo com o jornalista Vagner Martins, a primeira desculpa não é vista com bons olhos.

“A grama do Jaconi estava boa, e o Inter não vai jogar só no Beira-Rio em 2024. Tem que se adaptar aos terrenos diferentes. Entretanto, a parte física é algo que realmente preocupa. A corda esticada nos últimos jogos é a mesma do dia a dia. Trabalhar não é ruim, pelo contrário, mas é preciso encontrar a medida certa para que a parte técnica não seja afetada de forma significativa, como ocorreu em Caxias”, disparou o comunicador.

Vagner Martins ficou insatisfeito com Coudet no Inter

O técnico Eduardo Coudet também foi criticado pelo resultado de igualdade no Alfredo Jaconi. Vaguinha acredita que o comandante não encontrou as alternativas necessárias para lidar com a marcação alta da equipe da serra gaúcha. Além disso, no momento de mexer o time, não tomou as decisões corretas para contribuir no confronto.

“Coudet também não esteve bem. Não encontrou soluções para sair da marcação alta que acabou com a saída de bola tradicional do Inter, com Renê como terceiro zagueiro e Bustos e Wanderson abertos. Quando mexeu no time, tirou dois volantes e colocou outros dois. Demorou para colocar Wesley e tirou Alan Patrick, que, mesmo mal, não poderia ir para o banco”, disse o jornalista.