Zagueiro Dedé revela contato do Inter; jogador está livre

0

Atleta que já foi um dos melhores da posição, o zagueiro Dedé há anos vive um momento muito delicado pessoal e profissionalmente. Porém, em entrevista para o portal UOL Esporte, o atleta contou que já foi procurado por diversos clubes – incluindo o próprio Internacional.

“Ainda não tenho clube, mas tenho muitas sondagens. O Atlético-MG me ligou na época do Sampaoli. A Chapecoense ligou. O Vasco, Flamengo… Muita gente pergunta minha situação e estado físico, porque sabe da minha capacidade. O Internacional, Grêmio…”, revelou.

Dedé recentemente rescindiu seu contrato com o Cruzeiro e está livre no mercado. Porém, suas últimas temporadas foram marcadas por lesões graves que provocam receio nos clubes interessados e o afastam de receber ofertas mais “tentadoras”. O Inter, por exemplo, já assinou com Gabriel Mercado e Bruno Méndez e dificilmente irá atrás do atleta.

Aos 33 anos, o jogador fala que, por conta das fortes dores no joelho convividas, nunca assegurou que iria pendurar as chuteiras, mas algumas já questionou se a continuidade no futebol era o melhor para sua vida.

“Não adianta pensar no elogio do cara que está na nossa frente. Críticas e ofensas só me fortalecem e por isso que eu consegui chegar onde eu cheguei. Esses momentos me deram uma ‘casca’ legal não só como atleta profissional, mas no aspecto familiar também. Tive meus dois filhos nos dois momentos mais complicados da minha carreira. Eles foram a minha distração, a minha fortaleza”.

Foto: Bruno Haddad/Cruzeiro

Falta de cuidado da diretoria cruzeirense abalou Dedé

Dedé também aproveitou a entrevista para expor o péssimo tratamento que a nova diretoria do Cruzeiro lhe oferecia. Segundo o atleta, nenhuma pessoa ligada ao clube entrava em contato com o atleta para saber sua situação de saúde, nem mesmo após as cirurgias.

“Eu nunca julgo o clube. Quem me conhece sabe da gratidão, amor e carinho que eu tenho pelo Cruzeiro e terei pelo resto da minha vida. As pessoas que comandam o clube não tem nada a ver com a instituição. Ela é o que eu vejo, que eu sonho, que está estampado na minha casa. Tiveram algumas coisas sim durante esse período, mas por mais que tentassem me prejudicar, eu fiquei calado”, declarou.

- Publicidade -

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.