Inter 1×1 Brasil: O que o empate mostrou para Medina?

O Inter ficou no empate em 1 a 1 contra o Brasil de Pelotas. Taison abriu o placar no primeiro tempo e Paulo Victor empatou na segunda etapa. O resultado ruim trouxe vaias dos torcedores à equipe. Mas ainda assim, a partida serviu para algumas análises individuais.

Kaíque Rocha, o melhor do Inter

O zagueiro fez uma partida excelente. Prudente na cobertura, ele foi fundamental para que o Inter melhorasse sua segurança defensiva pelo lado direito do campo (os problemas não acabaram, mas diminuiram). Com uma sequencia, ele mostrou ter velocidade, boa saída de jogo e tempo de bola. Hoje, faz uma temporada acima da de Bruno Méndez, titular em 2021.

Gabriel é o volante que o Inter não tinha

Hoje ele fez seu primeiro jogo como titular em 2022 e foi muito elogiado por todos. Competente na marcação ele tomou conta do meio-campo com personalidade e boa desenvoltura para sair jogando. Deu dinamismo e inclusive arriscou, chutando de fora da área e obrigando o goleiro do Brasil a fazer boa defesa. Em um momento ruim de Dourado, Gabriel foi aplaudido pelo torcedor ao ser substituído. Começou a cavar vaga no time titular.

PV não aproveitou a chance

Com Moisés em má fase, o jogo contra o Brasil era visto internamente como a chance de ouro para PV se consolidar. Mas isso não aconteceu. Ele teve oportunidades e espaço pelo lado do campo, mas errou muitos cruzamentos e falhou em algumas tomadas de decisão.

Ainda assim, foi um pouco melhor que Moisés. E deu a assistência para o gol de Taison no primeiro tempo.

Wesley Moraes tá longe de encaixar

Ou o time não aprendeu a jogar com Wesley ou o Wesley não aprendeu a jogar com o time. Desconectado, ele participou muito pouco do jogo. Falhou ao tentar fazer o pivô. A dificuldade de encontrar o centroavante grandalhão em cruzamentos, também chama a atenção.

Mais informações sobre o empate do Inter, aqui:

Comentários do Facebook

- Publicidade -