Quase fora: Os bastidores dos planos de ação montados pelo Inter, em caso de eliminação

Uma reunião na manhã de domingo, no CT Parque Gigante, determinou quais serão as ações da direção colorada, após a iminente eliminação que o Inter sofrerá no Campeonato Gaúcho, diante do Grêmio. A demissão de Medina, após o clássico, é dada como quase certa. Apenas um milagre da equipe na Arena pode manter o uruguaio empregado no Beira-Rio.

Troca no comando técnico quase certa

O motivo de Medina não ter sido demitido após o GreNal é apenas um. O GreNal que vem na sequencia, na próxima quarta-feira. A leitura é que: como a semifinal já está perdida, que se tenha nela uma última oportunidade para Medina mostrar algo que ainda não mostrou.

Entretanto, o presidente do Inter, Alessandro Barcellos, já se convenceu de que o trabalho não possui muito campo para evolução. Por isso, exceto um milagre, Medina será trocado depois do Gauchão.

Reformulações no Departamento de Futebol

Outro assunto debatido pela cúpula colorada foi a reformulação no departamento de futebol. Ainda sem um executivo, a ideia é que durante o período da final do Campeonato Gaúcho, seja definida a nova equipe de trabalho.

Além de um diretor executivo, o Inter também terá um coordenador técnico. Esta definição está cada vez mais clara. Os três (treinador, diretor executivo e coordenador técnico) podem ser anunciados de uma vez só. Em um pacotão.

Perfil do novo treinador

Um perfil para o novo técnico também foi encaminhado nesta conversa de elaboração de cenários. Se tem como consenso que a busca precisa ser por um treinador que dê resposta rápida, em ambientes de crise. Um técnico brasileiro que esteja no mercado deve ser o procurado. Três nomes são comentados com mais força: Cuca, Odair Hellmann e Mano Menezes.

Comentários do Facebook

- Publicidade -