Edenilson protesta e muda seu nome no Instagram: “macaco”

O Instituto Geral de Perícias (IGP) divulgou, nesta quarta-feira (8), o laudo de perícia labial do lateral-direito Rafael Ramos, do Corinthians. O jogador foi analisado por conta da acusação de injúria racial do volante Edenilson, do Internacional, durante a partida entre as equipes.

O documento cita que é impossível atender à solicitação e conseguir uma resposta definitiva. De acordo com os peritos, não foi possível identificar as palavras que foram proferidas pelo jogador do Corinthians.

Por conta do laudo divulgado, Edenilson se manifestou nas redes sociais: “Não iriam nos calar???? Já nos calaram. Se ofendidos aceitem, engulam a seco. Finjam que não escutaram, é uma luta desleal, é uma luta inconclusiva”.

O atleta também mudou o nome do seu perfil oficial do Instagram para “Macaco Edenilson Andrade dos Santos”.

O volante acusou Rafael Ramos durante a partida entre Internacional e Corinthians, no dia 14 de maio, pelo Campeonato Brasileiro. No meio do duelo, Edenilson disse que foi chamado de “macaco” pelo adversário.

A resposta da pericia oficial sobre o caso

O laudo afirma que, pelas imagens, não foi possível ver o movimento da língua do jogador do Corinthians. A situação iria facilitar na conclusão sobre o estudo, permitindo que fosse possível descobrir o que foi dito pelo atleta.

O recurso de leitura labial foi descartado por não ter validade jurídica. Por conta disso, não existem elementos sonoros para aprofundar a pesquisa, então o caso segue sem um resultado definitivo.

“Sobre o pedido de exame pericial de leitura labial, ressalta-se que não foi encontrada metodologia científica, aplicada à análise forense de vídeos, que sustente esse tipo de trabalho. Existem apenas publicações sobre percepção visual da fala e aprendizagem de leitura labial”, escreveram os peritos.

Comentários do Facebook

- Publicidade -