Arbitragem prejudicou o Internacional contra o 9 de Octubre

O Internacional poderia ter saído com um resultado melhor do Equador, nesta quarta-feira (6), em jogo contra o 9 de Octubre. Responsável pelo apito, o argentino Andrés Merlos deixou de expulsar Mauro da Luz, autor dos gols dos equatorianos. Para Diori Vasconcelos, especialista em arbitragem da GaúchaZH, a não expulsão do jogador foi errada.

“O lance ocorreu aos 33 minutos do primeiro tempo. Mauro da Luz atingiu Gabriel Mercado com as travas da chuteira em uma disputa. O jogador do 9 de Octubre acertou o adversário bem acima da linha do tornozelo. Esse é sempre um ponto que precisa ser considerado na avaliação de possíveis lances para vermelho direto”, comentou Diori.

Naquela altura da partida, o Colorado vencia por 2 a 0. A decisão do árbitro foi aplicar somente o cartão amarelo ao jogador. Como a primeira fase da competição não tem VAR, o erro não pôde ser corrigido.

“Além disso, a entrada teve o emprego de força excessiva. Houve um movimento adicional de Mauro da Luz, o que fez com que houvesse uma torção no pé do lateral improvisado do Inter. O juiz argentino marcou a falta e mostrou apenas o amarelo. Decisão errada porque o lance era para vermelho direto”, finalizou.

Sem VAR, arbitragem prejudicou o Internacional

O desempenho ruim do time de Medina no segundo tempo não justifica colocar a culpa da derrota no equívoco do árbitro em campo. No entanto, foi uma falha considerável, pois da Luz foi personagem decisivo na etapa complementar. Ele foi o autor dos gols da equipe equatoriana, que decretaram o empate.

Sem o árbitro de vídeo na fase de grupos, a decisão em campo não pôde ser revista. Sendo assim, são pontos que podem fazer falta no fim da primeira fase, pois somente o líder da chave avança para as oitavas.

Comentários do Facebook

- Publicidade -