Papaléo fazia um trabalho político no Internacional

Na última sexta-feira, Emílio Papaléo deixou o cargo de vice-presidente do Internacional. A decisão foi tomada, por conta da carga exaustiva de tarefas que o ex-cartola colorado não conseguia mais conciliar. Somado a isso, vale ressaltar quais funções Papaléo exercia exatamente no cargo, em que ocupava, já que acabou sendo diferente de algo que alguns clubes costumam desempenhar.

Ao contrário dos dirigentes anteriores, Papaléo não se envolvia diretamente nas negociações do clube. Essa função era desempenhada, por Paulo Bracks e agora, por William Thomas. Ambos desempenham o trabalho de diretor-executivo e isentavam Papaléo de atuar no processo.

Com isso, a função que Papaléo exercia no Colorado era mais voltado a política, na qual o foco era intermediar a relação entre os atletas do clube, além disso, em momentos de pressão, o ex-dirigente do Inter era usado para apaziguar os ânimos nos bastidores.

Inter já definiu as características para o substituto de Papaléo

Algo que exemplifica o trabalho que Papaléo desempenhava é o perfil traçado para substituir o vice-presidente. Segundo informações do repórter Thaigor Janke, o substituto de Papaléo ocupará um cargo, na qual não deverá se intrometer nas funções dos demais funcionários do clube, ou seja, o próximo que assumir o cargo, não terá voz ativa nas questões do futebol.

Por ora, a atual direção não se manifestou a respeito do possível substituto de Papaléo. Contudo, alguns nomes que já integram o quadro do clube já são cotados para assumir o cargo, algo que facilitaria os moldes de exigência para atender as caracteristicas da função.

Comentários do Facebook

- Publicidade -